mia khalifa porn

Programa Reativar

reativar

 
Os estágios Reativar do Instituto de Emprego e Formação Profissional são uma oportunidade para voltar ao mercado de trabalho.


Os estágios Reativar pretendem promover a reintegração no mercado de trabalho de desempregados de longa e muito longa duração, proporcionar oportunidades de reconversão profissional a públicos com dificuldades de inserção no mercado de trabalho e contribuir para melhorar o ajustamento entre a oferta e a procura de emprego são as principais metas dos estágios Reativar. São esenvolvidos pelo IEFP têm normalmente a duração de 6 meses e contemplam incentivos para as empresas.

Se está desempregado e inscrito no centro de emprego saiba se pode aproveitar este apoio.


Estágios Reativar: para quem?

Esta medida de apoio visa inserir no mercado de trabalho aqueles que estão desempregados há muito tempo. O IEFP salienta que são candidatos prioritários a esta medida os que nos três anos anteriores à data da seleção pelo IEFP não tenham beneficiado de qualquer medida ativa de emprego financiada pelo centro de emprego (com exceção da formação profissional). Os requisitos para realizar um estágio Reativar passam por:

  • Estar desempregado e ter a idade mínima de 31 anos
  • Estar inscrito no centro de emprego há pelo menos 12 meses
  • Nos últimos 3 anos não ter sido apoiado por nenhuma medida de estágios financiada pelo IEFP
  • E estar numa das seguintes situações: ter, no mínimo, uma qualificação de nível 2 do Quadro Nacional de Qualificações; ter uma qualificação inferior ao nível 2 do QNQ mas estar inscritos num Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional em processo de reconhecimento, validação e certificação de competências


Quais são os apoios concedidos?

Apoios aos estagiários

Quem fizer este estágio tem direito a:

  • Refeição ou subsídio de alimentação no valor de 4,27 euros
  • Seguro de acidentes de trabalho
  • Bolsa de estágio – depende da qualificação e vai desde uma vez o valor do Indexante dos Apoios Sociais até 1,65 vezes o valor do IAS
Nível de qualificação Valor da bolsa
Nível 2 ou inferior 419,22 (1 X IAS)
Nível 3 503,06 (1,2 X IAS)
Nível 4 544,99 (1,3 X IAS)
Nível 5 586,91 (1,4 X IAS)
Nível 6, 7 e 8 691,71 (1,65 X IAS)


No caso de estagiários com deficiência e incapacidade, vítimas de violência doméstica, ex-reclusos ou que cumpra/tenha cumprido penas ou medidas judiciais não privativas de liberdade ou toxicodependentes em processo de recuperação, a empresa promotora do estágio tem ainda que assegurar o transporte entre a residência habitual e o local de estágio ou de pagar as despesas de transporte ou subsídio de transporte.

Apoios às empresas

As empresas que promovem este tipo de estágios remunerados do IEFP têm direito a incentivos que vão dos 65% aos 80%, que podem ainda ser majorados em alguns casos. A comparticipação do IEFP à empresa inclui:

  • Bolsa de estágio – que chega aos 80% quando se trata do primeiro estágio desenvolvido por uma empresa com 10 ou menos trabalhadores ou quando a entidade promotora seja pessoa coletiva de natureza privada sem fins lucrativos e cuja comparticipação é de 65% nas restantes situações
  • Subsídio de alimentação o valor de 4,27 euros por dia
  • Prémio do seguro de acidentes de trabalho no valor de 13,82 euros (3,296% IAS*)
  • Transporte no valor de 41,92 euros (10% IAS*)


Os apoios podem ser majorados em 15% no caso dos estagiários:

  • Inscritos nos serviços de emprego há mais de 24 meses
  • Com idade superior a 45 anos
  • Com deficiência e incapacidade
  • Que integrem família monoparental
  • Cujos cônjuges ou pessoas com quem vivam em união de facto se encontrem igualmente inscritos no IEFP como desempregados
  • Vítimas de violência doméstica
  • Ex-reclusos ou cumpram ou tenham cumprido penas ou medidas judiciais não privativas de liberdade e estejam em condições de se inserirem na vida ativa
  • Toxicodependentes em processo de recuperação


Como me candidatar ao estágio Reativar?

Cabe às empresas e não aos desempregados candidatar-se a estes estágios do IEFP. Mas se cumpre os requisitos pedidos pode indicar à empresa, quando se candidata a uma oportunidade de emprego ou envia uma candidatura espontânea, que tem perfil para realizar o estágio Reativar. Para o empregador é um benefício extra e a si vai dar-lhe a hipótese de mostrar o que vale enquanto profissional.


Já fiz um estágio Reativar, posso fazer outro?

Sim, mas há condições. Quem já fez um estágio financiado pelo IEFP pode realizar outro desde que tenha subido o seu nível de qualificação, ou seja, se tiver terminado um novo nível de ensino, desde o secundário ao doutoramento. Caso tenha obtido uma nova qualificação numa área diferente da que tinha, também pode voltar a fazer um estágio, desde que seja nessa área.

Fundo para o Emprego Jovem - EEA Grants

eea.grants

 

Através do novo Fundo EEA Grants para o Emprego Jovem, a Noruega, a Islândia e o Liechtenstein, pretendem apoiar medidas que promovam o emprego dos jovens em toda a Europa.

Apesar das tendências positivas verificadas em 2016, o acesso ao mercado de trabalho continua a ser um desafio para os jovens na Europa. Os efeitos da exclusão do mercado de trabalho são graves e constituem uma ameaça para o desenvolvimento da coesão económica e social. Além de ser um desperdício de potencial humano e talento, o desemprego coloca os jovens em risco de pobreza e exclusão social, desafiando o bem-estar individual, saúde e futuro.

Os apoios da EEA Grants 2014-2021 destinam-se a contribuir para a redução das disparidades sociais e económicas na Europa. Reconhecendo a forte ligação entre a igualdade social e económica e a participação no mercado de trabalho, as medidas que visam o emprego dos jovens são incentivadas ao longo dos diferentes programas dos apoios EEA Grants. Além disso, o Fundo para o Emprego Jovem, destina-se especificamente a apoiar iniciativas de projetos transnacionais que promovam um emprego sustentável e de qualidade para os jovens.

Foram previstos 60 milhões de euros para projetos no âmbito deste Fundo. Consulte a Call for Proposals para obter mais informações.

Mais informação consultar: eeagrants.org

 

25º PEJENE – Programa de Estágios de Jovens Estudantes do Ensino Superior nas Empresas

pejene.2017

 

Está lançada a 25ª edição do PEJENE - Programa de Estágios de Jovens Estudantes do Ensino Superior nas Empresas, promovido pela Fundação da Juventude.

O PEJENE enquadra-se num dos vetores estratégicos de atuação da Fundação da Juventude - Emprego e Empreendedorismo – sendo um forte contributo para ultrapassar o obstáculo da falta de experiência e de curricula dos jovens alunos e da pouca preparação para o mundo do trabalho. Este programa tem vindo a responder, desde 1993, às necessidades dos jovens que se encontram a finalizar o ensino superior, permitindo desempenhar tarefas de caráter profissional, e aumentar os seus conhecimentos em ambiente real de trabalho.

Os estágios da 25ª edição realizam-se entre Julho e Setembro. Para além da experiência proporcionada, os estagiários podem ainda contar com os subsídios de alimentação e de transporte, assim como um seguro de acidentes pessoais.

Para quem?

Os estágios destinam-se a todos os jovens que frequentem o penúltimo e o último ano de qualquer curso do ensino superior (Licenciatura, Mestrado ou Mestrado Integrado, Pós-Graduação), em estabelecimentos de ensino público, privado e/ou cooperativo, abrangendo todas as áreas de estudo. Destina-se também a todas as empresas/entidades interessadas em acolher estagiários.

Candidaturas

As candidaturas ao PEJENE 2017 contam com duas fases. A primeira fase, para empresas/entidades de acolhimento interessadas em receber estagiários, decorre até 7 de abril. Já para os jovens estudantes, as candidaturas decorrem a partir de 17 de abril. Tanto para as entidades, como para os jovens, as candidaturas são feitas diretamente no website do Programa: www.fjuventude.pt/pejene2017.

Duração

Os estágios terão a duração mínima de 2 meses e máxima de 3 meses, decorrendo entre Julho e Setembro.

Contactos

Susana Chaves
Tel. + 351 223 393 530
schaves@fjuventude.pt
ou
pejene@fjuvetude.pt

Técnico(a) Vitivinícola - Formação de Jovens

tecnico.vitivinicola

 

A Associação Técnico Profissional D. Carlos I é a entidade gestora da Escola Agrícola de Vendas Novas, com sede na Quinta do Pessegueiro em Vendas Novas, ministra cursos na área agrícola no âmbito da Lei de Aprendizagem do Instituto de Emprego e Formação Profissional desde 1987.

A Associação Técnico Profissional D. Carlos I, entre outras áreas de formação , está certificada pela DGERT- Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho/Direção de Serviços de Qualidade e Acreditação na área da Produção Agrícola e Animal.

Dispomos de capacidade de alojamento e serviço de refeições. De acordo com a legislação em vigor para os formandos que residem a mais de 50 km ou existe incompatibilidade entre o horário da formação e o dos transportes públicos o alojamento é gratuito e na própria escola.

Vimos deste modo informar que temos previsto iniciar em setembro de 2017, um curso no âmbito da Lei de Aprendizagem do Instituto de Emprego e Formação Profissional, de Técnico/a Vitivinícola.

São Condições de Acesso:

  • 9º ano de escolaridade/12º incompleto
  • Idade 14 anos

Duração do Curso:

  • 2,5 anos

No Final da Formação:

  • 12º ano de Escolaridade
  • Diploma de Técnico(a) de Vitivinícola
  • Cartão de Aplicador de Produtos Fitofarmacêuticos
  • Possibilidade de Obtenção da Carta de Tratorista

Regalias:

  • Bolsa de Formação
  • Subsídio de Almoço
  • Possibilidade de Alojamento

 

Plano Curricular

Empreende Já

empreende.ja

Emprego e Empreendedorismo

Data: 15-12-2016 a 31-12-2018

Agenda: Nacional

Local: Todo o país

Promotor: IPDJ

Contactos: Linha da Juventude 707 20 30 30

 

Descrição

Acede aqui diretamente ao filme do Programa.

EMPREENDE JÁ aposta em ti!

Não estás em situação de emprego, formação, ou educação? Então este programa é para ti!
O Programa apoia a empregabilidade de jovens NEET.

O Programa “Empreende Já”, promovido pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ, IP), foi apresentado na passado dia 20 de dezembro.

Objetivos:

  • apoiar a criação e o desenvolvimento de empresas e de entidades da economia social,
  • bem como a criação de postos de trabalho, por e para jovens.

O programa terá duas edições entre 2016 e 2018.
Cada edição é implementada por duas ações distintas:

  • a ação 1 traduz-se no apoio ao desenvolvimento de projetos, centrada na aquisição de competências por parte dos jovens (250h de formação e 30h de tutoria);
  • a ação 2 apoia a sustentabilidade de entidades e de postos de trabalho criados ao abrigo do programa, resultantes de projetos desenvolvidos por jovens empreendedores da ação 1.

O IPDJ pretende envolver, na ação 1 deste programa, 630 jovens NEET (Neither in Emplyment nor in Education or Training), dos 18 aos 29 anos e apoiar a integração e a sustentabilidade de 180 postos de trabalho.

Os jovens empreendedores terão, durante 6 meses:

  • Uma bolsa de apoio financeiro equivalente a 1,65 do IAS (Indexante de Apoio Social)
  • Os que passarem para a segunda ação receberão 10.000,00 euros para apoio à constituição e sustentabilidade da empresa ou entidade de economia social criada. Este segundo apoio financeiro, implica o compromisso de manter a entidade em atividade durante 2 anos.

O Empreende já é uma medida integrada no Plano Nacional de Implementação de uma Garantia para a Juventude, cofinanciado, no valor de 4.600.000,00 euros, pelo PO ISE – Programa Operacional Inclusão Social e Emprego, no âmbito do eixo prioritário 2 – Iniciativa Emprego Jovem.
A apresentação deste Programa conta com uma intervenção do Prof. Doutor Rogério Roque Amaro e a presença do secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo e do secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita.

Sabe mais e candidata-te, em https://eja.juventude.gov.pt

Prazo

Podes candidatar-te até 06 de março de 2017.

O PROGRAMA EMPREENDE JÁ | Legislação enquadradora

O Regulamento nº1022/2016, consubstancia-se no AVISO N.º POISE -20-2015-28 ‘Empreende Já — Rede de Perceção e Gestão de Negócios’, e define as regras e os procedimentos do Programa.

DESTINATÁRIOS: Jovens que, à data de candidatura, reúnam as condições previstas no artigo 3º da Portaria n.º308/2015 de 25 de setembro.

Sabe mais sobre o Programa EMPREENDE JÁ

CodeWeek

codeweek

 

A Code Week Europeia é uma iniciativa de base que visa trazer a codificação e a alfabetização digital a todos, de uma forma divertida e envolvente.

Decorre entre 7 e 22 de outubro de 2017.

Mais informações aqui (site em inglês).

 

Corpo Europeu de Solidariedade

corpo.europeu.solidariedade

 

O que é o Corpo Europeu de Solidariedade?

O Corpo Europeu de Solidariedade é a nova iniciativa da União Europeia dirigida aos jovens, dando-lhes a oportunidade de fazer voluntariado ou de trabalhar em projetos, no próprio país ou no estrangeiro, em benefício de pessoas e comunidades de toda a Europa.

Todos os jovens que participam no Corpo Europeu de Solidariedade concordam com a sua Missão e Princípios e comprometem-se a respeitá-los.

Aos 17 anos já te podes inscrever no Corpo Europeu de Solidariedade, mas só podes participar num projeto depois de fazeres 18 anos. A participação nos projetos do Corpo Europeu de Solidariedade está aberta aos jovens até aos 30 anos de idade.

Depois de se inscreverem, os participantes no Corpo Europeu de Solidariedade podem ser selecionados e convidados a integrar uma vasta gama de projetos, relacionados, por exemplo, com a prevenção das catástrofes naturais ou a reconstrução na sequência de catástrofes deste tipo, a assistência em centros de requerentes de asilo ou a resposta a outras questões sociais a nível da comunidade.

Os projetos apoiados pelo Corpo Europeu de Solidariedade podem durar entre dois e doze meses, decorrendo, regra geral, em países da União Europeia.

Mais informações sobre o Corpo Europeu de Solidariedade [Perguntas frequentes]

Interessado?

Se gostas de desafios e tens vontade de ajudar os outros, adere ao Corpo Europeu de Solidariedade!

Clica no botão abaixo para dares início ao processo de inscrição. Para que o processo seja tão simples quanto possível, podes inscrever-te através de uma conta de uma rede social ou criar uma conta no EU Login. Consulta a política em matéria de privacidade dos dados.

Adere ao Corpo Europeu de Solidariedade